A nossa missão

Estamos a tentar acabar
com a malária humana

Three happy african boys

A missão da Iniciativa contra a Malária da Universidade da Califórnia, em Irvine (University of California, Irvine Malaria Initiative, UCI MI) é acabar com a malária humana ao:

  • Descobrir formas de modificar populações de mosquitos para que não transmitam malária;
  • Trabalhar dentro dos regulamentos locais, nacionais e globais de forma ética e aberta;
  • Entender as necessidades das comunidades na sua luta contra a malária;
  • Ajudar a formar cientistas locais sobre o uso de mosquitos resistentes à malária;
  • Trabalhar com as agências de controlo da malária existentes para eliminar a malária.
A family in Sidarebougou
Mosquito feeding

O que é a malária?

A malária é uma doença causada por parasitas protozoários e é transmitida aos seres humanos pelas picadas de mosquitos fêmeas infectados.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que houve cerca de 216 milhões de casos e perto de 445.000 mortes devido à malária em 2015 (World Malaria report 2017, WHO); mais de 90% destas ocorreram em África. A maioria das mortes por malária ocorre com crianças.

Ainda não existe uma vacina eficaz para esta doença e a resistência do parasita a medicamentos requer a descoberta de, pelo menos, um novo produto químico a cada cinco anos. A resistência dos mosquitos aos pesticidas inviabiliza as abordagens actuais de controlo eficaz.

O que é a modificação de população?

Uma tecnologia genética que altera populações naturais de mosquitos para impedir que transmitam a malária. Isto é conseguido através do acoplamento de genes benéficos com um “gene”

O que são genes benéficos?

Os genes benéficos são concebidos para bloquear o desenvolvimento do parasita da malária no mosquito. Quando genes benéficos são concebidos dentro do mosquito, são incapazes de transmitir a malária.

O que é a alteração genética?

A alteração genética é uma forma de espalhar genes benéficos através de populações de mosquitos a taxas muito mais altas que o normal. Normalmente, a maioria dos genes é herdada pela metade (50%) dos descendentes na próxima geração. As tecnologias de alteração genética do mosquito resultam em cerca de 99% da progenitura com o gene desejado.

Combinámos o sistema de alteração genética com genes benéficos que tornam impossível para os mosquitos transmitir parasitas da malária. Quando mosquitos portadores dos genes benéficos com genes são libertados na natureza, esperamos que os genes benéficos se espalhem por toda a população local de mosquitos, prevenindo a transmissão da doença.

Onde estão os benefícios?

A modificação populacional oferece uma solução sustentável e de baixo custo para eliminar a malária. A modificação da população ajuda a proteger a biodiversidade, reduzindo o uso de insecticidas, e este método de alterar o mosquito não se destina a eliminar populações de mosquitos ou qualquer outra espécie na cadeia alimentar na qual os mosquitos selvagens possam fazer parte.

A UCI MI também envolve investigadores de:

A UCI MI também colabora com o Instituto TATA para Genética e Sociedade (TATA Institute for Genetics and Society, TIGS) através do Consórcio de Doenças Transmitidas por Vectores de San Diego da UCI-UC.

Conduta de investigação na UCI MI

A UCI MI usa as diretrizes da Organização Mundial de Saúde, Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina, e Comissão de Biossegurança Institucional da UCI, assim como outras, para realizar a sua investigação e manter padrões éticos.

Investigadores

Anthony James

Anthony A. James

Princípio do investigador

Ethan Bier

Ethan Bier

Investigator – Genetics

Greg Lanzaro

Greg Lanzaro

Investigator – Genetics, Field Microbiology

John Marshall

John Marshall

Investigator – Mathematical Modeling

Ziad Haddad

Investigator – Radar, Weather Mapping

Anthony Cornel

Anthony Cornel

Entomology